Você considera fazer uma graduação para dar um “up” na sua vida profissional, porém, se questiona como entrar na faculdade e quais são os caminhos para esse sonho?

Um estudo recente apontou que um maior nível de escolaridade aumenta as chances de ter um salário melhor.

Sendo assim, é um consenso de que a educação abre muitas portas para o seu futuro. Neste artigo, vamos mostrar tudo o que você precisa saber sobre os tipos de ingresso no ensino superior, como o vestibular, programas governamentais e as bolsas de estudo.

Acompanhe!

mulher jovem com livros e cadernos em mãos.

Vestibular

Quando pensamos em ingresso no ensino superior, automaticamente pensamos em vestibular. O vestibular é uma das formas mais tradicionais de como entrar na faculdade.

Seu objetivo é avaliar os conhecimentos adquiridos ao longo do ensino médio. Portanto, o conteúdo são as disciplinas regulares que estudamos nesse período, como português, matemática, história, geografia, filosofia, sociologia, física, química e biologia.

Precisamos dar uma atenção especial para três exigências: literatura, língua estrangeira e redação.

A respeito da literatura, boa parte dos vestibulares exige o conhecimento sobre as escolas literárias e as obras mais relevantes de cada uma delas.

Entretanto, algumas Instituições de Ensino solicitam, além do conhecimento histórico, a capacidade de responder questões sobre as leituras obrigatórias, que é uma lista previamente divulgada com diversas obras, de diferentes estilos e períodos, que o estudante precisa conhecer para fazer a prova. 

Já a língua estrangeira pode ser escolhida pelos candidatos. Comumente, essa escolha está centrada em duas opções: inglês ou espanhol. Mas é possível, ainda, escolher outras idiomas como francês, alemão ou italiano.

A redação é um dos momentos mais difíceis para a maioria dos candidatos. Afinal, para as outras disciplinas há um conteúdo programático, porém, o tema da redação é sempre uma incógnita até a hora da prova.

Normalmente, o texto solicitado é do tipo dissertativo-argumentativo, cujo propósito é defender um ponto de vista com argumentos sólidos. Sua estrutura é dividida em três partes: introdução, desenvolvimento e conclusão.

Uma boa argumentação depende, necessariamente, de ter um repertório de ideias. Por isso, uma das principais dicas para ter sucesso é estar atento aos fatos relevantes do país e do mundo. Assim, você desenvolve uma bagagem importante. Ainda, vale sempre estudar gramática e a ortografia, que também são avaliadas na redação.

Como são as questões do vestibular?

Na grande maioria dos vestibulares, as questões são de múltipla-escolha. Mas é possível deparar-se com questões dissertativas. Nesse caso, o vestibular é dividido por “etapas” e, uma delas, contemplam as questões de escrita. 

Nossa dica é sempre ficar atento ao edital.

O edital é um documento publicado pelas Instituições de Ensino antes de iniciar determinado processo seletivo. Nele, é possível encontrar informações sobre inscrições, prazos, cursos oferecidos, vagas disponíveis, critérios de seleção e documentação.

mão preenchendo uma folha de respostas, semelhante a usada no Enem.

Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) foi criado em 1998 com o objetivo de avaliar o desempenho dos alunos no ensino médio. Em 2009, a nota da prova passou a ser usada como forma de ingresso nas universidades. 

Atualmente, a nota do Enem é uma das principais portas de acesso ao ensino superior, podendo ser utilizada para ingressar em universidades públicas, conquistar bolsas de estudo em universidades privadas e participar de programas de financiamento.

Como funciona a prova do Enem?

A prova do Enem é dividida em duas partes.

Até 2016, a aplicação acontecia em um único final de semana, sábado e domingo. No ano seguinte, passou a acontecer em dois domingos consecutivos.

Na primeira parte, os candidatos respondem questões de Ciências Humanas e Suas Tecnologias, Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias e Redação.

Na segunda, Matemática, Códigos e Suas Tecnologias, e Ciências da Natureza e Suas Tecnologias.

Cada uma dessas áreas, contemplam disciplinas da base curricular do ensino médio:

  • Ciências Humanas e suas Tecnologias: História, Geografia, Filosofia e Sociologia;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Química, Física e Biologia;
  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação;
  • Matemática e suas Tecnologias: Matemática.

Cada área possui 45 questões. No total, 180 questões. As provas são objetivas, entre cinco alternativas: da letra A até a E. Já a redação é manuscrita.

O valor da prova é o seguinte: cada uma das áreas vale mil pontos. A redação, sozinha, vale mil. Assim, é preciso garantir uma boa nota na redação para que o seu desempenho seja satisfatório. 

New call-to-action

O Enem 2020 teve, pela primeira vez, a sua versão digital. A versão-piloto foi testada nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021.

A estrutura segue a mesma lógica do Enem impresso, com o mesmo conteúdo, exigências e horário de duração. 

Inclusive, os candidatos precisam se deslocar até o local de realização da prova, previamente informado pelo Ministério da Educação (MEC). É importante ressaltar que não será possível fazer a prova em um computador particular, de casa.

Nos locais pré-estabelecidos, as provas estarão no computador, em um sistema próprio, onde não é possível acessar internet ou outros sites.

A proposta do Enem digital é permitir avaliar o aluno com outros tipos de questões, usando vídeos, infográficos e games (interatividade). No entanto, a redação permanece manual. 

Onde posso usar a nota do Enem?

A nota do Enem pode ser utilizada em diversos programas para o ingresso no ensino superior. Abaixo, confira cada um deles.

Sisu

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é destinado para o ingresso no ensino superior em instituições públicas.

Para participar, o estudante deve ter feito a última edição do Enem e obtido nota acima de zero na redação (que vale mil pontos).

As vagas serão distribuídas obedecendo a Lei de Cotas (Lei 12.711/2012), conforme política de ações afirmativas.

Prouni

O Prouni (Programa Universidade Para Todos) oferece bolsas de estudo em instituições privadas.

As bolsas podem ser:

Integral (100%) - destinada para estudantes com renda bruta familiar de até 1,5 salário mínimo por pessoa.

Parcial (50%) - destinada para estudantes com renda bruta familiar de até 3 salários mínimos por pessoa.

Para participar do Prouni é preciso cumprir dois critérios:

  • ter média igual ou superior a 450 pontos no Enem;
  • não ter zerado a redação, que vale mil pontos.

As bolsas do Prouni são destinadas para:

  • estudantes que cursaram todo o ensino médio em escola pública;
  • estudantes que cursaram todo o ensino médio em escola particular com uma bolsa integral;
  • estudantes que cursaram parte do ensino médio na rede pública, e a outra parte no ensino particular como bolsista integral;
  • Professores da educação básica que trabalham em instituições públicas. Nesse caso, não é necessário comprovar renda. Contudo, essa opção é apenas para bolsas em cursos de licenciatura.
  • Estudantes com deficiência, independente do local onde cursaram o ensino médio (instituições públicas ou privadas).

Como funcionam as inscrições do Sisu e do Prouni?

O Sisu e o Prouni exigem que o estudante tenha feito a edição mais recente do Enem. Assim, não é possível usar a nota de provas antigas para concorrer em alguma das vagas ou bolsas.

Nos dois casos, o candidato escolhe, entre as opções ofertadas, dois cursos conforme a sua preferência e prioridade.

Essa escolha, contudo, pode ser modificada até o final das inscrições, conforme o candidato for observando a sua posição em relação à nota de corte.

O que é a nota de corte?

A nota de corte é a menor nota para ficar entre os selecionados em um grupo de preferência, com base no número de vagas e no total de candidatos inscritos no mesmo grupo de preferência.

Essa nota é atualizada diariamente e, com base nela, é possível observar s

Mas, atenção! A nota de corte não é atualizada em tempo real. Ela é uma referência. Portanto, é imprescindível que, ao longo do período de inscrições, o estudante fique de olho na sua candidatura.

Como posso me inscrever nos programas?

As inscrições ocorrem de forma gratuita no site oficial de cada programa. 

Tanto o Sisu quanto o Prouni realizam duas chamadas regulares: uma no primeiro semestre do ano e a outra no segundo.

É importante que você fique atento ao cronograma divulgado pelo Ministério da Educação.

Para o Prouni, outro ponto de atenção é a renda familiar. No ato da inscrição, é preciso informar qual o seu rendimento familiar para definir o tipo de bolsa concedida pelo programa: integral ou parcial.

A renda familiar é calculada somando todos os rendimentos do seu grupo familiar e dividindo o resultado da soma pelo número de pessoas que formam o grupo familiar.

Por grupo familiar, compreende-se as pessoas que moram no mesmo domicílio.

Se o resultado for até um salário mínimo e meio, o estudante pode concorrer à bolsa integral. Se o resultado for maior que um salário mínimo e meio, porém menor ou igual a três salários mínimos, o estudante pode concorrer a uma bolsa parcial.

Fies

O Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), instituído em 2001, concede financiamento em cursos superiores não gratuitos, em universidades com avaliação positiva do Ministério da Educação.

Para participar, é preciso ter feito o Enem a partir da edição de 2010 e ter obtido como média uma nota igual ou superior a 450 pontos, além de ter tirado acima de zero na redação.

Outra condição é possuir renda familiar mensal bruta, por pessoa, de até 3 (três) salários mínimos.

Podem ser financiados pelo Fies somente os cursos disponíveis no sistema do Fies, observado o número de vagas ofertadas.

Homem jovem assistindo aula on-line.

Ingresso no EAD Univali

O EAD Univali oferece diversas oportunidades para ingressar no ensino superior e impulsionar a sua carreira. Conheça as opções:

Usando nota do Enem

Se você fez o Enem a partir de 2015, é possível utilizar a sua nota para ingressar no EAD Univali.

Ao optar por essa modalidade, você já garante um desconto de 80% na 1ª mensalidade + bolsas de estudo conforme a sua pontuação:

🎓 10% de bolsa: Média de 300 a 449,99
🎓 20% de bolsa:
Média de 450 a 599,99
🎓 25% de bolsa:
Média de 600 a 699,99
🎓 30% de bolsa:
Média de 700 a 899,99
🎓 50% de bolsa:
Média de 900 a 950,99
🎓 100% de bolsa:
Média de 951 ou mais

Seletivo Univali EAD

Você pode se inscrever no EAD Univali como seu comprovante de conclusão do Ensino Médio.

Na hora da inscrição, basta portar o diploma ou certificado de conclusão do Ensino Médio/equivalente.

Caso o estudante ainda não tenha esse documento, mas está concluindo o Ensino Médio, basta apresentar comprovante de matrícula ativa e, conforme data estabelecida pela instituição no edital, apresentar o comprovante.

Nota do Encceja

Você realizou o Encceja (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos) recentemente?

Pois saiba que, com a nota da prova, é possível ingressar no EAD Univali e concorrer a bolsas de 10%* a 100%*, de acordo com o seu desempenho.

Por que escolher o EAD Univali?

A Univali é a melhor instituição não-estatal de toda Santa Catarina, com 55 anos de experiência em educação.

Os cursos EAD oferecem a mesma qualidade dos cursos presenciais, pois o corpo docente da Univali reúne professores mestres, doutores e especialistas.

O EAD pode ser 50% mais barato do que um curso presencial. E, além disso, é possível estudar onde e quando quiser, podendo conciliar outras atividades com os estudos, como o trabalho.

Ficou interessado nas nossas vantagens? Então conheça os nossos cursos e prepare-se para alavancar sua vida profissional com um diploma da Univali!

New call-to-action

Inscreva-se no nosso Blog

Baixe agora o manual:

New call-to-action

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT